PROCESSO DE SELEÇÃO PARA RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL DA UFRJ  - 2015

Escola de Enfermagem Anna Nery -EEAN

Hospital Universitário Clementino Fraga Filho - HUCFF

Hospital Escola São Francisco de Assis - HESFA

Instituto de Puericultura e Pediatria Martagão Gesteira - IPPMG

Maternidade Escola - ME

 

RESPOSTA AOS RECURSOS

QUESTÃO 03 – SUS – INDEFERIDO

A candidata alega que a Coordenação do Concurso não indicou a publicação da Política Nacional de Humanização, porém esta publicação é, inclusive, a primeira Bibliografia que aparece na lista das referências da prova de SUS, que a própria candidata anexou ao pedido de recurso.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Humanização da Saúde. Documento Base. 4ª ed. Brasília: Ministério da Saúde (MS); 2007. – Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br

Assim sendo, sou de parecer pelo INDEFERIMENTO do recurso.

 

QUESTÃO 05 – SUS – INDEFERIDO

A candidata alega que a alternativa C também responderia corretamente ao enunciado da questão, estando correta no que diz respeito à Política Nacional de Educação Permanente em Saúde (PNEPS). A candidata inclusive apresenta trecho da Portaria Nacional da Atenção Básica (PNAB) para embasar seu pedido, referindo-se ao que grifou no texto, onde se lê que as ações de EPS visam à “atualização do conhecimento”, o que realmente é correto.

No entanto, o que torna a alternativa em tela INCORRETA é justamente a segunda parte da sua redação, onde diz que ela se baseia em técnicas de transmissão, o que NÃO é verdadeiro. Na verdade, as técnicas de transmissão as quais a alternativa se refere são baseadas no entendimento da verticalização do processo ensino-aprendizagem, onde um “sabe mais” que o outro e por isso, pode transmitir-lhe algum saber. A EPS justamente se baseia no pressuposto inverso, em que o processo ensino-aprendizagem se dá a partir da “... cooperação horizontal, como trocas de experiências e discussão de situações entre trabalhadores, comunidades de práticas, grupos de estudos,...” conforme trecho que a própria candidata também grifou no anexo que encaminhou junto com o pedido de recurso.

Diante do exposto, sou de parecer pelo INDEFERIMENTO do recurso.

QUESTÃO 06 – SUS – INDEFERIDO

A candidata alega que a primeira assertiva não pode ser tida como Verdadeira porque não aparece em nenhum dos artigos da Política Nacional de Atenção Básica (PNAB), a expressão que os grupos educativos são “voltados à recuperação da autoestima” dos indivíduos.

Realmente, esta expressão não aparece literalmente no texto da PNAB, porém por uma questão de interpretação de diversos trechos da Portaria, como por exemplo, os que estão citados abaixo, retirados dos Fundamentos e Diretrizes da PNAB, pode-se entender que os grupos podem sim, e devem contribuir para a recuperação da autoestima dos indivíduos da comunidade. Além destes três trechos, faz-se a citação de um quarto, referente ao Processo de Trabalho das Equipes e que a própria candidata citou, grifou e enviou em anexo ao pedido de recurso, para embasar sua solicitação.

“O vínculo, por sua vez, consiste na construção de relações de afetividade e confiança entre o usuário e o trabalhador da saúde, permitindo o aprofundamento do processo de corresponsabilização pela saúde, construído ao longo do tempo, além de carregar, em si, um potencial terapêutico...”

“... articulando as ações de promoção à saúde, prevenção de agravos, vigilância à saúde, tratamento e reabilitação e manejo das diversas tecnologias de cuidado e de gestão necessárias a estes fins e à ampliação da autonomia dos usuários e coletividades; trabalhando de forma multiprofissional,interdisciplinar e em equipe; ...”

“Estimular a participação dos usuários como forma de ampliar sua autonomia e capacidade na construção do cuidado à sua saúde e das pessoas e coletividades do território, no enfrentamento dos determinantes e condicionantes de saúde, na organização e orientação dos serviços de saúde a partir de lógicas mais centradas no usuário...”

“Desenvolver ações educativas que possam interferir no processo de saúde-doença da população, no desenvolvimento de autonomia, individual e coletiva, e na busca por qualidade de vida pelos usuários;”

A interpretação dos trechos e das expressões grifadas dentro do contexto de cada citação, nos leva ao entendimento de que grupos que favorecem a recuperação da autoestima dos usuários tornam-nos mais competentes para exercer sua autonomia na manutenção de sua qualidade de vida. Sem a autoestima, sem troca de experiências e sem apoio mútuo para a melhora do autocuidado, pode haver comprometimento da autonomia destes indivíduos, logo é verdadeiro afirmar que o desenvolvimento de processos educativos através de grupos voltados à recuperação da autoestima é uma das atividades básicas da Estratégia Saúde da Família.

Diante de todos os argumentos expostos, sou de parecer pelo INDEFERIMENTO do recurso.

QUESTÃO 13 – SUS – INDEFERIDO

Em reposta ao recurso impetrando pela candidata, tenho a esclarecer que o parágrafo 2º integra o art. 4º e, portanto, não caberia especificar, conforme alegado, se “é de acordo com o art. 4º ou com o inciso 2” (sic). O artigo 4º deve ser considerado em sua totalidade para responder à questão, conforme consta na referência da questão. Ademais, este enunciado do art. 4º da Lei 8080/90 é oriundo do texto constitucional, em seus art. 198 (caput) e 199(par. 1º), abaixo transcritos, dirimindo quaisquer dúvidas em relação à resposta correta:

Art. 198. As ações e serviços públicos de saúde integram uma rede regionalizada e hierarquizada e constituem um sistema único, organizado de acordo com as seguintes diretrizes:

I –  descentralização, com direção única em cada esfera de governo;

II –  atendimento integral, com prioridade para as atividades preventivas, sem prejuízo dos serviços assistenciais;

III –  participação da comunidade.

Art. 199. A assistência à saúde é livre à iniciativa privada.

§ 1º – As instituições privadas poderão participar de forma complementar do sistema  único de saúde, segundo diretrizes deste, mediante contrato de direito público ou convênio, tendo preferência as entidades filantrópicas e as sem fins lucrativos.

Assim sendo, sou de parecer pelo INDEFERIMENTO do recurso.

 

QUESTÃO 25 – SERVIÇO SOCIAL – QUESTÃO ANULADA

O recurso tem procedência, segundo os textos e argumentos apresentados pela candidata. Assim, o recurso está correto, e a questão deve ser ANULADA.

 

QUESTÃO 31 – ENFERMAGEM – INDEFERIDO

O enunciado da questão não solicita a fisiopatologia ou as manifestações clínicas da síndrome nefrótica. Muito menos como é feito o diagnóstico clínico. Sabe-se também que os sinais clínicos ou manifestações clínicas estão diretamente associados à fisiopatologia.

Por exclusão, e de acordo com o próprio referencial utilizado e encaminhado pela candidata, os itens, b, c e d estão incorretos pelo fato de:

letra b - devido a permeabilidade das proteínas pela membrana glomerular, em especial a albumina,  ocorre a perda desta na urina, por isto a criança apresenta hiperalbuminúria. Em consequência, o nível sérico da albumina fica reduzido, ou seja, apresentará hipoalbuminemia e NÃO a hiperalbuminemia.

letra c, a criança apresenta ascite devido ao acúmulo de líquido na cavidade abdominal, provocada pela diminuição da pressão coloidosmótica (força de atração das águas), por isto irá apresentar hipovolemia e NÃO hipervolemia, porque reduzirá o volume de líquido vascular, ou seja, há  o deslocamento do líquido do plasma para os espaços intersticiais.

Por fim, a letra d, indica hipovolemia e hipotensão. A hipovolemia já explicada anteriormente, é causada pelo deslocamento do líquido do plasma para os espaços intersticiais. Devido ao quadro de hipovolemia, é estimulado o sistema renina-angiotensina e a secreção de hormônio antidiurético e aldosterona, fazendo com que haja a reabsorção tubular de sódio e água, na tentativa de aumentar o volume intravascular. No entanto, a criança não irá apresentar hipertensão  (ausência de hipertensão, ou seja, níveis pressóricos normais). Vide quadro 27-2 da referência Hockenberry, M.J. e Wilson, D. Wong. Fundamentos de Enfermagem Pediátrica. 8. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011, p.983, que indica pressão arterial normal ou ligeiramente diminuída NÃO significando hipotensão. A única opção correta é a letra a, que tem como resposta a hiperalbuminúria e hipoalbuminemia.

Diante de todos os argumentos expostos, sou de parecer pelo INDEFERIMENTO do recurso.

QUESTÃO 32 – ENFERMAGEM – INDEFERIDO

 

REFERÊNCIA:

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Área Técnica de Saúde da Mulher – Parto, aborto e puerpério: Assistência Humanizada à mulher. Brasília: Ministério da Saúde –2001. P. 136

Padrões de aleitamento materno:

1. Aleitamento materno exclusivo: quando a criança só recebe leite materno, seja diretamente do seio ou ordenhado da própria mãe, ou ainda leite humano de banco de leite, e não recebe nenhum outro líquido ou alimento sólido.

2. Aleitamento materno predominante: quando a principal fonte de alimento da criança é o leite materno, sendo permitido apenas receber água, chá, medicamentos ou soro de reidratação oral.

3. Aleitamento materno total: é uma medida ou índice que reflete o período de aleitamento materno exclusivo e predominante.

4. Aleitamento materno parcial: quando a criança, além da amamentação ao peito, recebe, antes da época adequada, outros alimentos (leite, cereais, frutas, legumes, etc.) em alguma refeição.

Embora esta referência, que também faz parte da Bibliografia do Concurso, seja de 2001, data anterior à da referência apresentada pela candidata, que é de 2009, considero que nas outras alternativas da Questão 32, PRINCIPAL, PREDOMINANTE E TOTAL, fique claro que nenhuma delas atende ao enunciado, a não ser a que é dada como gabarito, ou seja, PARCIAL.

No item 4 do trecho acima, encontra-se a resposta CORRETA: o “aleitamento parcial é aquele em que a criança, além da amamentação ao peito, recebe antes da época adequada, outros alimentos (leite, cereais, frutas, legumes, etc) em alguma refeição.”

Ademais, na Referência apresentada pela candidata que interpõe o recurso, a nomenclatura PARCIAL também faz menção a “outros tipos de leite”, conforme apresentado no enunciado da questão.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde da criança: nutrição infantil: aleitamento materno e alimentação complementar / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2009.de Saúde (PACS). P. 12.

• Aleitamento materno misto ou parcial – quando a criança recebe leite materno e outros tipos de leite.

Na verdade, a nomenclatura Aleitamento Materno Total não existe nas referências do Ministério da Saúde, sendo assim, o candidato ficaria entre três possibilidades: Parcial, Total ou Predominante. Como as categorias Total e Predominante, por suas definições, não se encaixam na descrição do enunciado, conforme as duas referências apresentadas para a questão, a ÚNICA resposta que está CORRETA é a do ALEITAMENTO MATERNO PARCIAL.

Diante de todos os argumentos expostos, sou de parecer pelo INDEFERIMENTO do recurso.

 

QUESTÃO 47 – NUTRIÇÃO – INDEFERIDO

A referida questão trata das deficiências mais comuns entre os indivíduos infectados pelo HIV.

E, o gabarito apresentado está de acordo com  Mahan, K.L.; Escott-Stump, S. Krause: Alimentos, nutrição e dietoterapia. 13ª ed. Rio de Janeiro. Elsevier, 2012., pág879. E, outras referências como Coyne-Meyers, k & Trombley, I.E (2004); Falcome EL et al (2010); Mc Dermid JM et al (2009); Pitney CL et al (2009); Rodrigues M et al (2009).

Mediante o exposto o gabarito será mantido e o pedido INDEFERIDO.

 

GABARITO FINAL

 

GABARITO FINAL

SERVIÇO SOCIAL

GABARITO FINAL

ENFERMAGEM, FARMÁCIA, FISIOTERAPIA, FONOAUDIOLOGIA, NUTRIÇÃO, ODONTOLOGIA, PSICOLOGIA, TERAPIA OCUPACIONAL

1 = A

26 = D

1 = A

26 = D

2 = B

27 = B

2 = B

27 = B

3 = C

28 = A

3 = C

28 = A

4 = C

29 = C

4 = C

29 = C

5 = A

30 = A

5 = A

30 = A

6 = D

31 = A

6 = D

31 = A

7 = C

32 = D

7 = C

32 = D

8 = A

33 = B

8 = A

33 = B

9 = C

34 = B

9 = C

34 = B

10 = C

35 = B

10 = C

35 = B

11 = D

36 = A

11 = D

36 = A

12 = C

37 = C

12 = C

37 = C

13 = B

38 = C

13 = B

38 = C

14 = A

39 = B

14 = A

39 = B

15 = C

40 = D

15 = C

40 = D

16 = A

41 = C

16 = A

41 = C

17 = B

42 = A

17 = B

42 = A

18 = B

43 = B

18 = B

43 = B

19 = C

44 = A

19 = C

44 = A

20 = B

45 = D

20 = B

45 = D

21 = D

46 = A

21 = D

46 = A

22 = D

47 = C

22 = D

47 = C

23 = D

48 = D

23 = D

48 = D

24 = B

49 = D

24 = B

49 = D

25 = ANULADA

50 = B

25 = D

50 = B

 

A DIVULGAÇÃO DO RESULTADO DA PROVA OBJETIVA NO SITE SERÁ A PARTIR DAS 16 HORAS DO DIA 25 DE NOVEMBRO DE 2014.

 

 

GABARITO UNICO PRELIMINAR

PROVA OBJETIVA - 16-11-2014

 

1 = A

26 = D

2 = B

27 = B

3 = C

28 = A

4 = C

29 = C

5 = A

30 = A

6 = D

31 = A

7 = C

32 = D

8 = A

33 = B

9 = C

34 = B

10 = C

35 = B

11 = D

36 = A

12 = C

37 = C

13 = B

38 = C

14 = A

39 = B

15 = C

40 = D

16 = A

41 = C

17 = B

42 = A

18 = B

43 = B

19 = C

44 = A

20 = B

45 = D

21 = D

46 = A

22 = D

47 = C

23 = D

48 = D

24 = B

49 = D

25 = D

50 = B

 

Relação Candidato-vaga Residência Multiprofissional – 2014/2015

PROGRAMA

CATEGORIAS PROFISSIONAIS / ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

VAGAS (Nº)

CANDIDATOS

RELAÇÃO

CANDIDATO

VAGA

Residência Integrada Multiprofissional em Saúde do HUCFF/UFRJ

Enfermagem – Clinica Médica

06

24

04

Farmácia – Clinica Médica

03

33

11

Fisioterapia – Clinica Médica

03

50

16,7

Fonoaudiologia – Clinica Médica

03

22

7,3

Nutrição – Clinica Médica

06

75

12,5

Serviço Social – Clinica Médica

04

38

9,5

Terapia Ocupacional – Clínica Médica

02

18

09

Residência Integrada Multiprofissional em Saúde Perinatal da Maternidade Escola/UFRJ

Enfermagem – Saúde Perinatal

06

11

1,8

Nutrição – Saúde Perinatal

02

18

09

Psicologia – Saúde Perinatal

02

11

5,5

Residência Multiprofissional em Saúde da Mulher HESFA/UFRJ

Enfermagem – Saúde da Mulher

04

07

1,7

Psicologia – Saúde da Mulher

04

16

04

Serviço Social – Saúde da Mulher

04

18

4,5

Residência Integrada Multiprofissional em Saúde da Criança e do Adolescente do IPPMG/UFRJ

Enfermagem – Saúde da Criança e do Adolescente

04

07

1,7

Fisioterapia – Saúde da Criança e do Adolescente

02

11

5,5

Nutrição – Saúde da Criança e do Adolescente

02

18

09

Psicologia – Saúde da Criança e do Adolescente

02

27

13,5

Serviço Social – Saúde da Criança e do Adolescente

02

11

5,5

Farmácia – Saúde da Criança e do Adolescente

02

18

09

Residência em Enfermagem Obstétrica da EEAN/UFRJ

Enfermagem

12

42

3,5

Residência Multiprofissional em Saúde da Família e Comunidade – HESFA/UFRJ

Enfermagem – Saúde da Família e Comunidade

02

12

06

Odontologia – Saúde da Família e Comunidade

02

01

0,5

Serviço Social  – Saúde da Família e Comunidade

02

08

04

Nutrição – Saúde da Família e Comunidade

02

13

6,5

Psicologia – Saúde da Família e Comunidade

02

18

09

TOTAL

85

527

6,2

 

 

O processo seletivo para o PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL DO HUCFF e as áreas deFARMÁCIA, FISIOTERAPIA, NUTRIÇÃO, PSICOLOGIA E SERVIÇO SOCIAL DO PROGRAMA DE RESIDENCIA MULTIPROFISSIONAL DO IPPMG será composto por etapa única, com prova objetiva composta por 50 questões de escolha múltipla.

Os demais Programas (PROGRAMA DE RESIDÊNCIA INTEGRADA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE PERINATAL DA MATERNIDADE-ESCOLA, DO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE DA MULHER HESFA, PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMILIA E COMUNIDADE – HESFA E PROGRAMA DE RESIDÊNCIA EM ENFERMAGEM OBSTETRICA DA EEAN-UFRJ E PARA A ÁREA DE ENFERMAGEM DO PROGRAMA DE RESIDENCIA INTEGRADA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE / IPPMG) terão outras etapas e obedecerão as orientações descritas nos respectivos Editais Complementares.

ACESSE A COLUNA À ESQUERDA PARA CONSULTAR O EDITAL DO PROCESSO SELETIVO E OS EDITAIS COMPLEMENTARES DE SEGUNDA ETAPA

ATENÇÃO: RETIFICAÇÕES DO EDITAL COMPLEMENTAR DE SEGUNDA ETAPA DO HESFA - ACESSE O ITEM EDITAL NA COLUNA A ESQUERDA PARA CONSULTA.

 

 
Universidade Federal do Rio de Janeiro
Hospedado no Núcleo de Computação Eletrônica
Joomla extensions by Siteground Hosting